quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Canivete Lobo e Águia


Entalhe nas pontas de metal 
e as talas de osso com scrimshaw.
Scrimshaw é uma arte que se originou dos antigos caçadores de baleias,
que faziam desenhos nas horas de folga em dentes de cachalotes.
É um desenho feito com ponta seca.



Detalhes


Talas em osso desenhadas




Pontas de metal com entalhes

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Pingentes

Scrimshaw  feitos em chifre e osso.
Scrimshaw é uma arte que se originou dos antigos caçadores de baleias,
que faziam nas horas de folga em dentes de cachalotes.
É um desenho feito com ponta seca.








sábado, 12 de fevereiro de 2011

Relógio antigo

Restauração de relógio que ficava numa estação ferroviária
e atualmente é peça de decoração.







Kindjail

        Manufatura de um cabo em osso de camelo.
     Kindjail é um punhal originário da República da Georgia
        na Russia, muito usada pelos cossacos no começo
    do século XX.


                                



 Detalhes de gravações nos metais.

Porta jóias

Restauração de dois porta jóias antigos originários da Tailândia 
em cobre com parte em casco de tartaruga.
As partes quebradas foram substituidas por resina.

                                  




Anéis

                                             Monograma STB em prata

                                          Monograma SB em prata

                                          Brasão de família

                                          Brasão de família

Ave do paraíso

Gravura feita a buril numa moeda de prata lixada 
as duas faces e polida, com 3 cm de diametro.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Gravuras em chapa de ferro

Alguns trabalhos comerciais feitos em chapa de ferro para impressão a tinta.

Cartão de visita que fiz para uma revenda de motocicletas. A chapa entalhada a mão, com o resultado impresso.

                                          Cabeçalho do meu papel de carta com detalhe

                                               Trabalho recente para um profissional liberal.

Gravura



Desde o Renascimento até a invenção da fotografia, a gravura foi o principal método de documentação da realidade e reprodução de imagens, permitindo a difusão de livros ilustrados e obras primas da pintura, enquanto servia como meio expressivo para a criação artística.

Relevo timbrado

É a técnica que consiste em realizar uma série de incisões sobre uma superfície ou matriz, que ao receber tinta, se aplica sobre um papel ou material similar para obter-se uma imagem. Permitindo a partir da matriz, vários exemplares idênticos.
A gravura em entalhe sobre chapa metálica, é o sistema, em que a área talhada recebe tinta e se imprime depois para dar a imagem.

Na gravura a buril ( instrumento formado por uma lamina de aço temperado, própria para traçar linhas e abrir sulcos, usado para trabalhos de gravação em metal, madeira,  pedra e outros) o artista talha diretamente o metal, com o buril.

A intensidade da cor e do relevo depende da profundidade e da largura da incisão.
Quando é utilizado o cobre, denomina-se gravura em talho doce, mas para trabalhos comerciais  é utilizada uma chapa de ferro.
A impressão é feita com prensa ( tipo balancim) que ao bater sobre o papel com força de 12 toneladas, deixa a imagem da matriz, com tinta e com relevo.


Um pouco de história deste trabalho

A gravura em placa metálica surgiu a partir dos ourives, que costumavam empregar o buril em seus  trabalhos.
As primeiras gravuras foram feitas na Alemanha, e mais tarde em Florença, Itália, onde o ourives Tommaso Finiguerra (1426/1464 – ourives, escultor e pintor , conhecido por seus trabalhos decorativos em nigelo,  é uma composição negra metálica, formada por enxofre adicionado a prata, cobre e chumbo. Utilizada no preenchimento de um desenho feito por meio da incisão no metal) trabalhou com o artista florentino Antonio di Jacopo Pollaioulo – 1432/1498 ) dedicou-se à chamada gravura em talho-doce, sobre cobre.

Artistas como Pollaioulo e Andrea Mantegna ( 1431/1506 – pintor italiano, primeiro representante do Renacentismo no norte do país iniciando uma tradição na decoração de afrescos) adotaram o trabalho a buril e realizaram obras em estilo mais próximo ao do desenho, com traços paralelos e ordenados.

Na Alemanha o grande mestre da gravura em entalhe foi Martin Schongauer (1445/1491 – pintor e gravador alsaciano, autor de grandes afrescos para a catedral de Breisach. Influenciou Dürer com suas gravuras), cujas obras se caracterizaram pelo detalhismo e por um estilo de composição quase barroco.

Desde o século XVI a gravura a buril passou a ser utilizada em Roma para copiar obras pictóricas importantes, como fez Marcantonio Raimondi (1480/1534 – gravador italiano, mais célebre copista de arte do país, reproduziu gravuras, desenhos e esboços dos grandes artistas da época, como Rafael e Miguelangelo), que assimilou os encinamentos dos gravadores alemães e se concentrou na cópia de quadros de Rafael, o que favoreceu a difusão da estética classista.

O holandês  Cornelis  Cort(1536/1578, gravador holandês, nasceu em Horn, na Holanda, e estudou gravura com Hieronymus Cockx de Antuérpia) criou instrumentos novos e mais precisos para sua arte.  Estabeleceu uma escola de gravura em Roma e reproduziu obras de Ticiano. Na Itália, ele era conhecido como Cornélio Fiammingo.

Os últimos anos do século XVII, a gravura a buril converteu-se em disciplina acadêmica, rigidamente regulamentada.

No Brasil esta arte se tornou comercial (papelaria empresarial – cartões, papel de carta, envelopes, etc) e esta em vias de extinção ( a partir da década de 90) por causa da informatização (rapidez e baixo custo). Porém a parte estético/artística não morreu.


Então depois de ser um gravador comercial eu me dedico a gravar artisticamente, produzindo vários objetos  para um público que aprecia a arte.